O erudito e o popular em concerto

Sob a regência do maestro Márcio Miranda Pontes, a Orquestra Sinfônica de Betim e o Coral Unimed-BH celebram a música erudita e popular em concerto, às 10h30, do dia 17 de setembro, na praça Floriano Peixoto, bairro Santa Efigênia, em Belo Horizonte. O repertório traz obras do russo Pyotr Tchaikovsky, do belga Cesar Franck, do italiano Giuseppe Verdi, do filandês Jean Sibelius, e do alemão J. Sebastian Bach. O violonista Tiago Cox, integrante da Orquestra, preparou arranjos para canções folclóricas e populares brasileiras. O concerto conta com a participação especial dos corais Angelus e OAP, regidos pela maestrina Marilene Gangana. A atração integra a programação do Circuito Instituto Unimed-BH.

Márcio Miranda Pontes foi coordenador de pesquisa na UEMG

O Coral Unimed-BH participa do evento que tem regência e direção artística do maestro Márcio Miranda Pontes, idealizador da Sociedade Artística Brasileira, da qual a Orquestra faz parte. O concerto é gratuito e aberto ao público de todas as idades. De acordo com Pontes, será uma ótima oportunidade para reunir os familiares e amigos para um momento único. “Em cada apresentação incluímos novas canções e procuramos, além dos clássicos, relembrar músicas conhecidas e de compositores brasileiros”.

Márcio explica que o objetivo da Orquestra Sinfônica de Betim é promover a vivência do repertório sinfônico aos jovens músicos integrantes da Orquestra, além de disponibilizar ao público em geral um espetáculo virtuoso. “Por meio da ‘Oficina Musical’, escola de música que fomenta o ensino prático e teórico de música a jovens de Betim e Região Metropolitana de Belo Horizonte, nossa meta é levar o tema ao maior número possível de pessoas”, afirma.

Márcio Miranda Pontes

Márcio Miranda Pontes é autor, entre outros, de dois volumes de um catálogo musical pioneiro no Brasil: "Catálogo de Manuscritos Musicais Presentes no Acervo do Maestro Vespasiano Gregório dos Santos". Lançado em 1999, o acervo é uma mostra fidedigna da música que era realizada no final do século XIX, em Ouro Preto e no início do século XX, em Belo Horizonte.

O maestro Vespasiano, que foi pianista e diretor das orquestras das empresas Gomes Nogueira à época do cinema mudo, herdou e conservou o acervo de partituras de seu pai adotivo, José Nicodemos da Silva. Natural de Sabará, onde iniciou seus estudos musicais, o maestro José Nicodemos da Silva desenvolveu intensa atividade musical como regente, violoncelista, compositor e professor. Lecionou no Gymnasio de Barbacena e na Escola Normal de Ouro Preto, cidade onde seu nome chegou a ser popular. Em 1872, foi nomeado regente da Banda Musical do antigo Corpo Policial. Com a mudança da capital do estado para Belo Horizonte, assumiu a direção musical da Banda Musical do 1º Batalhão da Brigada Policial, apresentando-se com ela em diversas cidades mineiras e no Rio de Janeiro.

O acervo de manuscritos musicais origina-se na atividade do maestro Nicodemos à frente do Coral e Orquestra Padre João de Deus, com os quais participou dos principais momentos religiosos e culturais da nova capital mineira; e de seu contato com compositores e regentes de cidades como Ouro Preto, Mariana, Sabará, Santa Luzia e Lagoa Santa.

Por ocasião do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana, capitaneado pelo Centro Universitário UNI-BH em 2000, Márcio Miranda Pontes se apresentou na cidade primaz de Minas. Ele foi coordenador de pesquisa na Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais.

Circuito Instituto Unimed-BH

Criado para estimular a saúde, o bem-estar e a convivência ao ar livre, o Circuito Instituto Unimed-BH, realizado pelo Instituto Unimed-BH, oferece gratuitamente atividades físicas, de lazer e socioculturais em espaços públicos, como a Praça da Saúde e a Praça Floriano Peixoto, em Belo Horizonte, e a Praça Milton Campos, em Betim. Em 2016, mais de 70 atrações culturais foram realizadas, prestigiadas por 47 mil pessoas.

Instituto Unimed-BH

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH foi criado em 2003 com a missão de conduzir o Programa de Responsabilidade Social Cooperativista da Unimed-BH. Os projetos desenvolvidos têm na saúde sua área prioritária, mas mantêm interface com outros campos por meio de cinco linhas de ação: Comunidade, Meio Ambiente, Voluntariado, Adoção de Espaços Públicos e Cultura.

Voltar