Itajaí e a pesquisa oceanográfica

Na terça-feira (3/10), a Marina Itajaí (Rua Vereador Carlos Ely Castro n° 100, ao lado do Centreventos) será palco da cerimônia de batismo do primeiro veleiro de expedições e pesquisas oceanográficas do Brasil. Também é a primeira embarcação do gênero construída por uma universidade, a UFSC.

Veleiro ECO construído pela UFSC

A Marina Itajaí, referência náutica e de lazer catarinense para o Brasil e Exterior, recebe na terça-feira (3/10), comitivas do Governo do Estado de Santa Catarina; do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações; do Itamaraty, além de representantes de universidades, autoridades regionais e ícones da navegação a vela brasileira como Amyr Klink e Wilhelm Schurmann para a inauguração do primeiro veleiro de expedições e pesquisas oceanográficas do Brasil.

A embarcação de 60 pés, construída pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), ficará até o dia 4 de outubro no complexo náutico. Neste período, estudantes e professores poderão conhecer de perto o veleiro antes da primeira expedição pelas regiões do nordeste e sudeste brasileiro.

“A Marina Itajaí se tornou ponto de referência de veleiros como alguns da Volvo Ocean Race e outros de diversos países. Além disso, a escolha pela Marina Itajaí para o batismo, sem dúvida, se deve ao fato de ser um lugar muito seguro, onde as embarcações ficam bem protegidas de ventos fortes e de ondulações da maré. Sua estrutura de serviços náuticos é completa, além da paisagem e das atrações de lazer como a gastronomia”, comenta o coordenador geral e comandante do Veleiro ECO, Prof. Dr. Orestes Estevam Alarcon.

Durante a cerimônia de inauguração do Veleiro ECO, professores, autoridades, imprensa e convidados também poderão conhecer a Carta de Itajaí - 2017. O documento será desenvolvido durante o 1° Encontro Sobre Lixo Marinho do Atlântico Sul, que acontece um dia antes, no Centreventos, com a proposta de discutir ações para reduzir o lixo marinho. Professores e alunos que participarem do evento no dia anterior já poderão visitar o veleiro na Marina Itajaí.

A primeira expedição científica

Com o objetivo de aprimorar e expandir as pesquisas oceanográficas em várias regiões brasileiras, o Veleiro ECO tem previsão de saída no início do mês de novembro com destino aos arquipélagos São Pedro e São Paulo, ao leste de Pernambuco; a Abrolhos, no litoral da Bahia; e ao ponto extremo leste do território brasileiro, Trindade e Martim Vaz, no Espírito Santo. Durante um mês, pesquisadores irão monitorar e estudar comunidades de plâncton, microorganismos que, por meio da fotossíntese, são responsáveis pela metade do oxigênio do planeta.

“O papel das expedições científicas oceanográficas é justamente o de monitorar e proteger a vida de ecossistemas marinhos. Por este motivo, desenvolver a ciência e a tecnologia do mar, além de promover a divulgação sobre a importância de um oceano limpo para futuras gerações devem ser uma das questões mais importantes do século 21”, explica o coordenador geral e comandante do Veleiro ECO, Prof. Dr. Orestes Estevam Alarcon.

Para realizar as primeiras análises a bordo com a equipe de pesquisadores das áreas de oceanografia, biologia, ecologia e engenharia, o veleiro possui uma plataforma de pesquisa para acomodação de equipamentos oceanográficos e um laboratório de análise da água instalado próximo à popa. Possui características de segurança e navegabilidade, permitindo expedições científicas de grande porte, incluindo as expedições polares, particularmente a Antártica. A motoração elétrica sem ruído e quilha retrátil também permitirão navegação em águas rasas de mangues e estuários de rios; áreas muito sensíveis ao adensamento urbano.

Voltar